Este blog acaba de nascer de uma conversa íntima entre dois amigos, com gostos e ideias bastante similares em relação à vida e ao sexo.

21
Dez 08

... como será fazer amor.

Um daqueles momentos cinematográficos em que dois corpos se entregam, mas mais do que os corpos se entregam as almas. Pergunto-me se isso realmente existe. Viver intensamente cada toque sem pensar na performance, porque o prazer é garantido pelo amor. Sentir cada milímetro da pele de quem se ama como se de seda se tratasse. Absorver cada palavra sussurrada ao ouvido como se fosse a última vez e devorar um corpo com os olhos, não porque é perfeito mas porque é a morada de algo muito mais profundo. Suspirar emoções contidas, e no fim chorar pela concretização de um momento sublime. Será possível chorar-se por isto? Será possível viver uma coisa assim?

Apetece-me fazer amor.

 

publicado por L. às 23:22
tags:

Estranho, mas eu que sou tão sensivel a estas cenas do amor nunca me vi a fazer amor realmente com a pessoa que amo.Passo a explicar, fazer amor é dar carinho mas nunca vi isso no meu acto sexual ou seja quando estou a ter uma relação sexual nunca pensei que era amor que estava a fazer...
Para mim um gesto carinho é quase como fazer amor...
Carlos Martins a 22 de Dezembro de 2008 às 14:45

Não acho estranho. É mesmo uma cena cinematográfica que acredito poucas pessoas experimentarão. Assim como não existem vidas perfeitas, acredito que são raros os momentos perfeitos e os amores perfeitos. Mas gostava de viver uma coisa assim... intensa.
Hoje estive ausente mas não perdes pela demora ( refiro-me ao messenger, ok?!lol )
L. a 22 de Dezembro de 2008 às 22:44

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
19
20

22
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

"Deves querer comer-me não"
pesquisar
 
blogs SAPO