Este blog acaba de nascer de uma conversa íntima entre dois amigos, com gostos e ideias bastante similares em relação à vida e ao sexo.

28
Fev 09

A navegar, na net e na maionese.

 

Nas navegações pela net dei com um blog fantástico, cuja autora se chama Rebeca. Eu diria, pelo que li, que eu e a Rebeca temos muito em comum. Ambas comprometidas com homens morninhos, e apaixonadas por homens comprometidos, quentinhos, mas que não passam de reles manipuladores. Ambas livres de tabus. Ambas com pavio curto e sem papas na língua. Ambas ora perdidas ora confiantes. Auguro um futuro fantástico para nós. Ainda havemos de beber um copo no blacktie.

 

E agora um assunto completamente diferente: hoje semi renovei o meu stock de lingerie. Caramba, encontrei uma loja fantástica com preços fantásticos! Comprei três conjuntos pelo preço de um. A qualidade é aceitável e confesso que dediquei um ao gosto do meu gajo. Muito gosta o homem de me ver de boxers curtos e justos com rendas. Só tinha dois... agora tenho três. Me aguarde!

Se passarem por aqui senhoras, passo a publicidade, Tezenis nas galerias do Campo Pequeno.

publicado por L. às 15:29

27
Fev 09

 

E porque a vida não é só feita de sexo, desejos e sonhos...deixo-vos com a minha favorita declaração romantica do mundo do Cinema. O Amor tem de ser vivido como Ethan Whake se declara...curto e grosso...

 

 

 

Vejam as expressoes dele quando se declara...

publicado por Carlos Martins às 12:29
sinto-me: Romantico
música: Kissing the Rain

23
Fev 09

 

Chamem-lhe pancada, chamem-lhe tara ou mania, mas eu gosto dela assim, sem pelos.

Por mim, porque me sinto mais limpinha, e por quem me dá prazer com a língua.

Já experimentei de tudo: só com uma penugenzinha ao centro, com o mato por desbravar e sem nada. Não consigo conceber que seja agradável para homem nenhum lamber uma pombinha cheia de pelos.

E que mulher acha que uma boa sessão de sexo é completa sem sexo oral? Bolas, não me lixem! Há lá coisa melhor?!

Se há um dia em que habitam aqui mais pelos do que o desejável, por falta de tempo, é um dia de neura.

Meninas, desatem os cordões à bolsa e arranjem tempo para cuidar do que é vosso. Gostam de fazer um broche e chegar à base e terem que tirar pelos da boca? Pois é...

 

publicado por L. às 16:09

20
Fev 09

 

O meu esterotipo de mulher, em termos de beleza e sensualidade, é este o meu tipo de mulher.

Latina com um ar sexy, com alma e peito, com um toque de misterio dentro da alma.

Meninos e Meninas apresento-vos Miss Salma Hayek. Ó Salminha era só uma voltinha...

 

 

publicado por Carlos Martins às 16:44
sinto-me: Protegido

19
Fev 09

 

Tatuas-me as mamas e as nádegas?

publicado por L. às 09:50
sinto-me:
tags: , ,

17
Fev 09

 

 

Estava a subir para o teu apartamento por algum motivo que agora já não me lembro, fiquei contente por saber que estavas a fazer a minha sobremesa favorita, aquela que te tinha pedido por telefone.

Enviaste me uma sms a dizer que quando eu estivesse a subir no elevador para te dar um toque para o telemovel, assim fiz, não questionei sequer porque é que me proposeste isso.

Cheguei ao teu andar, vinha sozinho no elevador, mal a porta do dito se abriu, vi-te a ti como nunca te tinha sequer imaginado ver. Trazias um avental branco quase transparante, e uns calçoes de treino pretos bem apertadinhos. Estavas ainda suja da ousada sobremesa que me propunhas dar para comer, estavas encostada ao lado do elevador de dedo indicador na boca gulosa. Tentei não entender o que querias de mim, tentei ousar não te entender, tentei não te olhar para os olhos sedentos de prazer. Tinhas o Cabelo sujo nas pontas, que acariciavas com os dedos, num enrolar e desenrolar demasiado ousado a meu entender.

Debaixo de Avental tinhas um top curto azul bébé, via-se o pequeno umbigo, e mesmo com uns poucos kilos mais ainda denotavas sensualidade que baste para me colocares em sentido.

Caminhaste para mim como gato á bofe, ao principio tentei rejeitar-te denunciando pesadas heranças, mas ao mesmo tempo que me beijavas apaixonadamente despertavas-me o desejo de te comer logo ai dentro do elevador. Agarrei-te e puxei-te de costas contra o meu peito rijo, estavas como nunca te vi, estavas demasiada inconsciente para perceberes o o quanto eu desejava aquele momento. Beijei-te o pescoço e procurei algo mais dentro do teu top azul, ambicionava mexer nos teu seios desde o primeiro dia que te vi. Eram grandes mas cabiam perfeitamente na minha mão, esboçaste logo um pequeno gemido quando te procurei o segredo mais bem escondido. Não tinhas roupa interior, mas reparei que as cuecas tocavam-te no sitio onde o tesouro estava escondido.

Rasguei-te os calçoes dados pela epoca do natal, Quando o fiz olhaste para mim com alguma surpresa e assustada, voltei-te a aconchegar com os beijos no pescoço para tentares perceber que aquilo é só sexo, não tem a ver com violencia ou qualquer outra tabú que decerto nunca terás. Depois de perceber que estava demasiado excitado para qualquer tipo de preliminar, resolvi comer-te por detrás com alguma firmeza e de mãos nas tuas ancas, eu estava encostado ao corrimão do elevador, estava com dores por isso, mas tudo o resto estava a ser demasiado bom para sentir qualquer outro tipo de sensação. Gemias como nunca pude ver outra mulher gemer, tentei colocar-te a mão na boca para os vizinhos não ouvirem, mordeste-me por isso, querias ter o dominio de tudo. Agarrei-te o cabelo e resolvi abraçar-te a barriga enquanto nos vigoravamos agarrados á um sexo surreal e bom. Enquanto o faziamos sussurei-te ao ouvido o quanto ansiava por aquele momento, entre outras frases ousadas demais para expor aqui.

Por fim terminamos, não me deixaste falar sequer, deste-me um beijo leve no labios e disseste que tudo aquilo foi um sonho, para que não me importa-se com tormentas ou pensamentos negativos acerca do “nosso” momento. Eu chorei, e nunca mais te vi...

publicado por Carlos Martins às 16:59
sinto-me: Ousado.

16
Fev 09

Este dia maravilhoso! Dá-me preguiça por um lado e desejo por outro.

Dava tudo para que me entrasse por aqui um gajo, me desse um bruta beijasso e me comesse com vontade.

Não é tão porco quanto parece. Mas hoje a meu corpo está a pedi-las com tanta fé que me põe à espera que um milagre aconteça.

Vá lá pá!

publicado por L. às 15:40
tags: ,

14
Fev 09

Não querendo fugir muito ao propósito deste blog, perdoem-me mas ele é meu, e se me apetecer espetar aqui alguma coisa que não seja um pénis, espeto!

 

Os sábados são uma seca, uma grande seca! Dia de trabalho, pois claro. E como se não bastasse, dia dos namorados também. E, pior ainda, não está ninguém no messenger com quem me apeteça partilhar o meu estado de neura.

 

Concedo-me o privilégio de ser ordinária fora da cama, só por hoje: p*&$! que pariu! Só vejo flores a passar e, para mim, flores dão-se aos mortos. Gajo que me dê flores está lixado. Não estou morta, estou bem viva e o que pede este dia é isso mesmo, viver qualquer coisinha de jeito sob o pretexto " Dia de São Valentim ". Um restaurante italiano, algumas calorias que se vêm juntar aos estragos próprios da idade, uma garrafa de vinho e com alguma sorte sexo de qualidade. Dá para rir um bocado, e porque não recordar os " defuntos " que ficaram pelo caminho e não terão a oportunidade de hoje levar com um ramo de flores na testa.

 

Vesti uma saia gira para enfrentar a fila à porta do restaurante. E vou pôr um sorriso que esconda tudo o resto.

 

 


 

 

 

 Mas não existem palavras.

publicado por L. às 15:35
música: Love Remains The Same - Gavin Rossdale
tags:

10
Fev 09

 

 

Há dias em que sinto que penso como um homem. Ainda ontem lia num artigo, de uma daquelas revistas de w.c., que os homens pensam em sexo a cada sete segundos. Não os posso censurar. Se nos entregarmos por inteiro, sexo é bom.

Ontem foi um " daqueles " dias. Não sei porquê, o local de trabalho tem um sex appeal poderoso. Sozinha, com a sala de reuniões vazia, a minha cabeça começou a divagar. E foi divagando todo o dia... Saí do trabalho tão alheada, que não pensava em sexo a cada sete segundos, mas talvez a cada dois. Quem me visse à chuva, de chapéu fechado na mão, talvez nem imaginasse que simplesmente não dei por estar a chover.

O desejo prometia uma noite de bom sexo, e assim foi. Daquele a que o meu companheiro chama selvagem e que eu apelido de obsceno. Do mais baixo nível e da mais alta satisfação.

Hoje entrei na estação de combóios tipo zombie, é um " daqueles outros " dias em que parece que toda a gente olha para mim. No meio da multidão vejo cabeças a voltarem-se na minha direcção, e não sendo um dia em que me sinta especialmente bonita, em que uso uma roupa normal e estou num " bad hair day ", aproveito todos os espelhos para tentar perceber o que se passa. Entro no escritório e vou direita ao espelho. Na cara, tudo no sítio, o fecho das calças está fechado, parece-me não haver motivo para a curiosidade alheia.

Começo a desconfiar que o meu corpo emana feromonas desde ontem, ou então, o meu subconsciente algo tacanho, carrega com ele o tabu. Talvez as pessoas se tenham transformado numa espécie de voyeurs da minha intimidade, e o filme porno esteja a passar na minha testa.

 

 

publicado por L. às 09:12
sinto-me:
tags: ,

Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13

15
18
21

22
24
25
26


subscrever feeds
"Deves querer comer-me não"
pesquisar
 
blogs SAPO