Este blog acaba de nascer de uma conversa íntima entre dois amigos, com gostos e ideias bastante similares em relação à vida e ao sexo.

30
Jul 09

 

 

Ontem sentei-me na estação e o meu pensamento passeou-se pela tua língua, pelo teu rabo, pelo teu peito, pelos teus boxers reveladores e por baixo deles.

 

Olhei para cima e vi um hotel. Olhei atentamente para as janelas, quase todas com as cortinas entre-abertas, que denunciavam presença. Passou-me pela cabeça que um dia ainda ía fazer acontecer o contrário: espreitar o banco da estação, onde o meu pensamento vagueava...espreitá-lo depois de te afundares em mim.

 

Nunca cheguei a dizer-te que me ofereceste um prazer quase inquantifícável. Não sou boa a quantificar, como te disse não sou boa com números. Sei apenas que foi 80 e não 8, que a tua pele quente na minha foi 100 e não 10. O teu corpo provoca-me não 1 desejo, mas 1000.

 

E talvez passem 1000 dias... espera por mim. Um dia quero mesmo estar naquela janela a sentir tudo outra vez.

 

 

 

 

publicado por L. às 11:36

16
Abr 09

 

 

Eu sei que te esforçaste, mas o desejo acabou por te trair.

 

Denunciaram-te os toques de mãos e de pernas, o caminhar constante na minha direcção, o olhar e finalmente o convite para almoçar. E a sobremesa foi deliciosa.

 

Regressámos em silêncio depois do café e o nosso espaço estava mergulhado num silencio convidativo. Foste fumar para o pátio das traseiras e eu segui-te. Brincámos, sacudi-te umas moscas em resposta às tuas provocações.

 

Entrei para a sala contígua ao pátio e por trás dos vidros convidei-te com o olhar. Entraste e empurraste-me na brincadeira. Estava na hora de te pagar o almoço.

Respondi ao teu " mimo " com um valente beijo, daqueles que cortam a respiração e excitam. Primeiro recuaste. Depois voltaste e sussurraste-me ao ouvido que estar com uma mulher comprometida não era bonito.

 

A minha resposta não se fez esperar: baixei-te as calças e deliciei-me no teu pau duro como ferro, já molhado na ponta. Os teus receios desapareceram nesse momento mas não falaste. A tua cara denunciava a vontade de viver o nosso momento com intensidade e o teu olhar faíscava.

 

Puxei uma das cadeiras disponíveis e sentei-te, para logo de seguida me sentar em ti. As minhas mamas roçavam o teu peito coberto de pelos, o que ainda me dava mais tesão. A minha cona húmida abrigou-te vezes sem conta. A tua respiração ofegante deixou-me louca. A tua mão, que me acariciava o clítoris enquanto entravas em mim fez-me vir de uma forma violenta.

 

Beijei-te enquanto me vinha e recebi o teu gemido final na minha boca. O meu corpo estremeceu por dentro e por fora. Deixei-me ficar encostada a ti mais um pouco, enquanto me envolvias nos teus braços, mais uma vez sem dizeres uma palavra.

 

publicado por L. às 13:59

16
Out 08

E quando ela se vem primeiro?

 

Ser mulher tem as suas vantagens, ora vejamos: acabei de ter dois orgasmos em 15 minutos. A única diferença entre eles foi que no primeiro só gemi e no segundo exclamei: oh não! Isso mesmo, não o tão comum Oh sim, apenas um sonoro Oh não!

Isto porque o primeiro me deixou poucas forças e quando se aproximou o segundo, apesar do gozo, uma ideia assombrosa apodereou-se de mim... não aguento mais um! O meu pobre corpo nu sente-se derrotado e o segundo vai acabar com ele. Eis senão quando a minha pele se arrepia e o prazer se junta ao terror que culmina, com o agora cómico, Oh não!

Já recomposta, preocupa-me agora o lábio inferior, o da boca obviamente, que está a tremer como se tivesse vontade própria. Sinto que hoje não tenho controlo nenhum sobre o meu corpo. Há dias assim.

 

Pelo sim, pelo não vou tirar o número da linha saúde 24.

publicado por L. às 19:29

07
Ago 08

 

 

Hoje decidi aproveitar muito bem a minha hora de almoço.

Mimei-me como merecia. Apeteceu-me sentar-me nas escadas que dão acesso ao piso inferior do meu local de trabalho. Tirei ou soutien e baixei as calças e a tanga. Usei pela segunda vez uma técnica de masturbação que descobri há pouco tempo na internet, e que posso afirmar com conhecimento de causa, é fabulástica! Acariciei um pouco os mamilos e pus a técnica em prática... os apoios do corrimão das escadas excitam-me, o cheiro da cera e da madeira, a forma... agarro-me a eles com uma mão e uso a outra para me satisfazer. Venho-me a primeira vez mas não estou ainda satisfeita. Continuei e vim-me mais uma e outra vez. Sim , três vezes! Para mim foi inédito.

Fiquei sem forças e achei que era uma boa altura para fazer uma coisa que adoro e não fazia há algum tempo: meditação. Escolhi um canto escuro da sala de baixo e procurei no chão uma posição confortável. Concentrei-me na minha respiração, tentei visualizar a chama de uma vela. Sei que entro no estado de meditação quando me sinto tão relaxada que deixo de ter consciência do meu corpo, continuo consciente dos sons mas deixaram de me incomodar. Há pensamentos que teimam em invadir-me a cabeça mas teimosamente volto a concentrar-me na minha respiração. Não me apetece abrir os olhos, mas tem que ser. Abro-os lentamente enquanto volto a ter noção da realidade.

Sinto-me completamente relaxada e pronta para enfrentar mais uma tarde.

Para os que são cépticos, experimentem. Depois do sexo ou quando vos der na real gana. Até li que a meditação aumenta o prazer sexual.

Tenham um bom dia! Eu vou ter...

 


Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


subscrever feeds
"Deves querer comer-me não"
pesquisar
 
blogs SAPO